sábado, 23 de maio de 2009

Aqui e Agora: Corpo Perfeito


Na última Quinta-Feira assisti ao debate na SIC com o tema "Corpo Perfeito", que contava com um psiquiatra, um cirurgião plástico, a Fátima Lopes, a Carla Matadinho e o Angélico Pereira, e a apresentação do Rodrigo Guedes de Carvalho

As grandes frases da noites (não são literais que a minha memória não dá para tanto), para mim, foram:
  • se alguém obeso estivesse numa ilha deserta, estaria pouco marimbando-se (Rodrigo Guedes de Carvalho) - dá que pensar, mas, se alguém obeso estivesse numa ilha deserta, isso ia passar-lhe em pouco tempo certamente. Mas todos sabemos, que se alguém não se importar de ser gordinho (nem precisa de ser obeso), o que não vai faltar é gente para lhe dizer que não pode viver assim.
  • fazer uma tatuagem aos 17 anos é o mesmo que fazer um aumento mamário na mesma idade (Carla Matadinho) - sim, ser conhecida aos 17 anos como a "gaja das mamas de plástico" é exactamente o mesmo que tatuar uma borboleta no ombro. Esta foi a única coisa que percebi de todo o discurso dela, que era meio a dar para o indescritível.
  • ter mamas pequenas, ou mamas grandes, são ambas deformidades (cirurgião plástico) - ora deformação no dicionário significa "Alterar a forma de", "Desfigurar, afear", "Perder a forma primitiva (para pior)". Não conheço o portfólio de pacientes dele, mas vá lá, as pacientes dele eram mesmo na maioria deformadas? Ou queriam apenas mamas maiores ou menores? Só faltava lá um cabeleireiro a dizer q as mulheres fazem extensões no cabelo porque cabelo curto é deformidade
  • as operações plásticas são necessárias nos adolescentes porque depois não vão à praia, saiem com amigos, etc (cirurgião plástico) - sim, porque um adolescente que não socialize por causa do corpo, vai socializar quando for só cicatrizes cirurgicas e parecer a barbie ou o ken. Curiosamente, as pessoas mais sociáveis que conheçosão deficientes motores, e já eram bastante sociáveis na adolescência. Mas pronto, têm o nariz direito, se calhar isso é que faz toda a diferença...
  • já tive modelos mais magrinhas e mais gordinhas, mais altas e mais baixas (Fátima Lopes) - sinceramente, não sei se teve. Mas quero lá saber. Eu não me meto nas telas que os pintores escolhem para os seus quadros, e os desfiles são uma forma de arte, a maioria das pessoas sabem que as modelos de passelere são telas e molduras (espero eu).
O programa foi variando entre a obesidade e a cirurgia estética de tunning, portanto, foi um pouco alhos e bogalhos, e com uma conclusão fraca de "quem se sentir mal, deve recorrer à cirurgia plástica".

O vídeo:
http://sic.aeiou.pt/programasInformacao/scripts/videoplayer.aspx?ch=aquieagora&videoId={4B55F22D-608F-4EDA-8B02-CEF1FE6D7A99}

2 comentários:

EA disse...

gostava mto de ter visto esse programa :)
mas que há gente oca há se ha!!!!!
bjinhos querida e boa semana

Branquinha disse...

Não vi o programa mas tenho a ideia que foi mais publicidade para os cirurgiões, não?